Bem vindos

Bem vindos
Neste blog vou colocar os selinhos que me dão e falar de tudo um pouco

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Homenagem a Eusébio

Gostei imenso deste texto que vem na newsletter activa 
e partilho com vocês!

5 lições que aprendemos com Eusébio

Portugal perde uma das suas figuras mais emblemáticas, um exemplo de desportivismo e talento para gerações de fãs e para colegas de todo o mundo, que hoje lhe prestam homenagem. Mas há exemplos de vida a retirar das atitudes do 'Rei', dentro de campo e fora dele.



Eusébio da Silva Ferreira morreu na madrugada de 5 de janeiro, vítima de paragem cardiorespiratória. Enquanto um país comovido lhe presta a sua homenagem, lembramos alguns exemplos inspiradores e eternos que o Pantera Negra nos deixou.
. Nunca devemos desistir de um grande sonho: Quando era miúdo, a mãe, D. Elisa, não achava muita graça a que Eusébio passasse o seu tempo livre a jogar futebol: "Apertava comigo para que eu me importasse com a escola e me deixasse de pontapés na bola, mas eu não sei explicar, havia qualquer coisa que me puxava, um frenesim no corpo que só se satisfazia com bola e mais bola", recordou o craque numa entrevista ao jornal A Bola. D. Elisa protestava e, de vez em quando, chegava a dar-lhe "umas sovas que não eram brincadeira nenhuma", mas Eusébio estava decidido e provou-lhe que o futuro podia estar mesmo naquilo que mais prazer lhe dava: o futebol. E não desistiu, mesmo quando o seu primeiro clube de sonho, o Desportivo de Lourenço Marques, não o aceitou por ser pequeno e franzino. Mas o Sporting de Lourenço Marques viu nele as qualidades que outros teimavam recusar... e daí para o mundo foi um pulinho. Lição: às vezes sabemos mesmo, desde pequeninos, para onde nos puxa o talento e a garra. E com determinação e confiança naquilo de que somos capazes, chegamos lá.
. A humildade é a marca dos grandes: Foi sete vezes o melhor goleador do campenonato nacional e duas vezes o melhor marcador europeu (nas temporadas de 67/68 e 72/73), 11 vezes campeão nacional pelo Benfica e uma vez campeão europeu. O palmarés de Eusébio é impressionante. Mas se há característica que a maior parte das pessoas que com ele privaram lhe reconhece, é a humildade. Não era, contudo, um homem de falsas modéstias – era humilde mas sabia bem o que valia. Quando chegou a Lisboa, em outubro de 1961, com apenas 18 anos e vindo de Lourenço Marques (atual Maputo), terá dito sobre o Benfica: "Não me interessa que eles sejam campeões europeus; vou entrar nessa equipa."
. Lutar sempre, mesmo quando tudo parece perdido: O famoso jogo contra a Coreia do Norte, no Mundial de Inglaterra em 1966, ainda hoje é mostrado em escolas de futebol de todo o mundo. Aos 25 minutos de jogo já perdíamos por 3-0 e parecia que íamos ficar pelo caminho. O resto já faz parte da História do Futebol. Ao intervalo ainda perdíamos mas Eusébio acabaria por ser o herói do jogo. Recusou-se a dar-se por vencido e marcou quatro dos cinco golos que nos garantiram a vitória (o outro seria de José Augusto).
. Não nos devemos deixar intimidar por ninguém: Eusébio tinha força física mas, sobretudo, psicológica para não se deixar intimidar nem pelos adversários mais temíveis, mesmo quando era mal tratado em campo. Paddy Crerand, ex-jogador do Manchester United, defrontou-o na final da Taça da Europa, em 1968, no estádio de Wembley. "Tive pena do Eusébio porque o Nobby Stiles estava a marcá-lo e não da maneira como é suposto marcar-se um jogador. Ele levou pontapés violentos e nem se importou, continuou a jogar. Que jogador!"
. Os bons rivais também se aplaudem: O Pantera Negra era conhecido por colegas de profissão de todo o mundo por respeitar o desportivismo, acima de tudo. Não eram raros os gestos de fair play como aquele com que Eusébio presenteou Alex Stepney, guarda-redes do Manchester United, em 1967 e que este último recorda, num artigo de homenagem publicado ontem pelo jornal Guardian. Eusébio rematara à baliza de Stepney e este defendeu. "Depois de fazer a defesa não percebi bem o que se passou. Mas vi na televisão depois e Eusébio tinha parado a aplaudi-la. Esse era o tipo de homem que ele era: o respeito que me prestou e ao futebol era tremendo. Jogar contra ele foi uma honra!"
Paz à sua alma!

2 comentários:

Arroz Di Leite disse...

Através de outro blog vim te conhecer e te seguir.

É lamentável, mas, tudo que ele ensino com certeza ficará guardado nos corações.

Bjs

Tânia Camargo

Joaninha Musical disse...

Adorei esta tua homenagem sobre o Eusebio!! Linda postagem!! Grandes lições!! Adorei tudinho!!