Bem vindos

Bem vindos
Neste blog vou colocar os selinhos que me dão e falar de tudo um pouco

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

20 sinais de que já não tem 20 anos

Claro que o importante é ser jovem de espírito, mas às vezes temos um choque quando percebemos que o espírito já é mais jovem que o corpo. Vamos tirar a prova dos... novos?



1- Pessoas com quem andámos ao colo... já têm bebés ao colo. A última vez que vimos a Ritinha ela tinha 6 anos e estava numa birra monumental porque queria um coelhinho cor-de-rosa no hipermercado. Agora tem 24 e já nem sequer está na universidade, já acabou o MBA em Direito Fiscal (foi do trauma do coelho) e trabalha para a Troika (achamos nós, embora ela não assuma).

2 - Pensamos três vezes antes de dizer que sim a qualquer coisa que acabe depois da meia noite. Claro que às 10 da noite já estamos a cair de sono e com olheiras e a pensar que era muito mais divertido estar no sofá a ver a 56.ª reposição do ‘Titanic’, e depois das 11 já aceitávamos tudo, até podíamos estar a ver ‘Do Cabaret para o Convento’, qualquer coisa que viesse acoplada a sofá e casa. Dantes a vida não era tão cansativa e tínhamos mais paciência para coisas que não mereciam a nossa paciência.

3 - Toda a gente nos trata por “minha senhora”. Até os taxistas. Isto é o fundo do poço. Quando até já os taxistas olham para nós e nos chamam automaticamente “minha senhora” em vez de “ó menina” a vida deixou de valer a pena.
4 - Os nossos pais com a nossa idade já tinham filhos adultos. Ou enfim, para lá caminhavam... É verdade que os tempos eram outros, mas ‘antigamente’ era-se adulto muito mais cedo... Pensar que a sua mãe com 20 anos já era mãe é uma coisa que a põe doente. Com 20 anos, andávamos a pensar se o Vasco gostava mesmo de nós, se nos deixariam ir acampar ao Algarve e que nota teríamos a, sei lá, artes gráficas.
5 - Gente que nasceu nos anos 90 já é milionária. Tipo o Justin Bieber ou a Selena Gomez. É ainda mais deprimente do que a alínea dos que já estão na universidade, porque a essa ainda conseguíamos habituar-nos, ou aos que já têm filhos e ainda há tão pouco tempo tinham deixado o coelho cor-de-rosa.
6 - Nem os trolhas nos atiram piropos. É sempre possível que os trolhas tenham ficado imensamente sensibilizados com a campanha do Bloco de Esquerda, mas às vezes, e isto é uma coisa que nunca admitiremos, temos saudades de um ‘és boa como milho’.
7 - Só aceitamos no Facebook gente que conhecemos bem.“Olá, Maria Cristina, Zé Manel quer ser teu amigo”. Olha que bom para ele. Pois também eu queria muita coisa que não tenho. E quem és tu, Zé Manel Pinto? Desculpa, Marques? Temos 308 amigos em comum? Não chega. Apresente-se, conte uma anedota, dê-me uma receita de cocktail e diga-me o seu livro preferido e depois talvez possamos conversar. Talvez.
8 - Achamos que já temos amigos suficientes. Não é que eles sejam muito bons amigos ou muito presentes, mas é que fazer amigos novos dá imenso trabalho. Temos que ir a sítios, depois temos que dizer o nosso nome, depois são pessoas que não nos conhecem de lado nenhum, é preciso dizer-lhes tudo, que gostamos de alheiras, que a maionese nos cai mal, que um dia quando tínhamos 5 anos íamos morrendo mas não queremos explicar, que gostávamos de ter sido cabeleireiras, e que assim a meio da noite nos dá uma dor nas cruzes que agora também não interessa. Aos amigos velhos não temos de explicar nada.
9 - Os festivais têm muito pó, muito calor e música chunga.Como é que alguém acha graça a uma coisa em que é preciso estar de pé durante 3 horas, com os decibéis a destruir-nos os tímpanos? Festivais só na Gulbenkian ou no CCB, onde pelo menos há lugar sentado, respeitam a anatomia interna do ouvido e não é preciso um dia para recuperar. 
10 - Sentimo-nos secretamente orgulhosas de saber trabalhar com o iPhone. E quando não sabemos, quem nos ensina tem 11 anos. Temos um iPhone porque nos dá a ilusão de sermos iguais aos outros, mas 95% das capacidades de um iPhone são um desperdício em cotas como nós, que não estão para perder o seu precioso tempo a matar a cabeça com ‘apps’ que daqui a seis meses estão desatualizadas.
11 - Já não temos paciência para certas conversas. Gente a contar as suas histórias de amor, a relatar a última gracinha da criança ou a dizer que antigamente é que havia valores e agora já ninguém sabe o que isso é. Já não há pachorra.
12 - Rimo-nos de piadolas que só os maiores de 40 percebem. Tipo aquela do “Há três polos: o polo norte, o polo sul e o polilon”. Se não sabe o que é, ok, ainda é nova.
13 - Gastamos o que for preciso a aquecer a casa. E em Portugal não é dizer pouco, porque a maioria das casas são difíceis e caras de aquecer (também gostamos de protestar que em Portugal as casas são caras de aquecer e de comparar métodos de aquecimento).
14 - O realmente importante nos sapatos é que sejam confortáveis. Sim. E nos homens também.
15 - A nossa colega mais nova tem idade para ser nossa filha.Tratamo-la como às outras, achamos que é vagamente mais nova que nós, mas de repente fazemos as contas e percebemos que ela podia ser nossa filha. E nem sequer tínhamos sido mães adolescentes.
16 - Pode-se viver sem sexo mas não sem óculos. Podemos viver sem sexo mas não sem uma data de outras coisas que de repente se tornaram mais importantes: óculos, séries de jeito, chocolate biológico, horas de sono, paz de espírito, vizinhos sossegados.
17 - Ouvir a música mais baixa. Já lá vai o tempo em que se ouvia a música aos "berros" agora já só apetece ouvir mais, mais baixinho... E melodias mais suaves e românticas.
18 - Continuamos a achar que o Richard Gere é um sex symbol. Igualmente mau é acharmos que o Robert Pattinson é um sex symbol e depois percebemos que temos idade para sermos mãe dele (e também já não éramos mães adolescentes.) Mas pelo menos estaríamos milionárias.
19 - Sentimos que temos o direito de dizer o que quisermos a qualquer pessoa. Claro que isto pode simplesmente querer dizer que somos malcriadas e não que somos velhas. Às vezes, é mais o direito de ficar calada e não se chatear com coisas que não merecem que se perca tempo a discutir.
20 - Lembramo-nos do casamento da Princesa Diana. E é melhor nem pensarmos que já podia ser avó...
Espero que tenham gostado. Eu adorei este artigo que foi publicado na Newslwtter activa, por isso não hesitei em repartir com vocês. Beijinhos e bom fim de semana.

4 comentários:

Mª Fátima disse...

São querida, é bem assim rsrs... Já me encaixo em várias dessas situações. Espírito jovem, mas o restante... deixa pra lá! Bjs

Joaninha Musical disse...

Ai ai Conceição!! Bela postagem a retratar a realidade em que vivemos. É mesmo assim que funciona. Continua a ter um mês de dezembro bonito e especial,muitos beijinhos e fica com deus!!

Mira disse...

São, eu gostei bastante e revi-me
em algumas das situações, enfim...
é melhor continuar com espírito
jovem, já que o resto vai como pode
beijos

♥ Wilma ♥ disse...

ahahahaah, eu me encaixo em vários desses, senão em todos! Já passei dos vinte há vinte! rsrs
bjosss